A fiscalização da Agência Reguladora Municipal de Belém (ARBEL) chegou ao distrito de Mosqueiro. Na manhã desta terça-feira, 28, técnicos da agência percorreram as vias do distrito avaliando de perto os serviços de saneamento básico oferecidos aos moradores da ilha. O abastecimento de água e a coleta de lixo estão entre os atendimentos avaliados pela equipe técnica da agência.

Nos bairros Vila e Praia Grande as principais queixam são com relação a qualidade da água fornecida e das constantes interrupções no serviço de abastecimento. “Não me recuso em pagar pelo atendimento, desde que seja um trabalho de qualidade. O problema é que somos obrigados a pagar por um serviço sem nenhuma qualidade”, desabafou o aposentado João Conceição Silva, de 64 anos, que reside na alameda Pena, na avenida 16 de Novembro.

“Aqui falta água todos os dias, sem falar que quando o serviço retorna nas torneiras a água vem muito suja e isso nos obriga a comprar água mineral. O problema é que nem sempre temos dinheiro para gastar com a compra de um garrafão de água, pois a gente já ganha tão pouco e vive com dificuldades”, lamentou o aposentado.

O engenheiro sanitarista e ambiental Homero Silva Pereira, coordenador de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Arbel, acompanhou a fiscalização e orientou os usuários. “Pelo que avaliamos é uma água imprópria para o consumo direto”, disse o engenheiro, enquanto observava a água na cor amarelada coletada em um dos imóveis da via.

Avaliação – Além do abastecimento de água, o serviço de coleta de lixo também foi avaliado pela equipe técnica da Arbel. “Nós, como agência reguladora viemos até Mosqueiro verificar como estão sendo feitos os serviços de saneamento básico, incluindo o abastecimento de água e também a parte de resíduos sólidos. Precisamos saber como está a qualidade da água fornecida aqui na ilha e verificar se a coleta de lixo vem sendo feita corretamente, por isso estamos percorrendo as ruas do distrito e conversando com moradores”, destacou a diretora presidente da agência, Eliana Uchoa, enquanto acompanhava a fiscalização.

Por Noely Lima / Agência Belém