A atualização dos dados foi feita pelo governador Helder Barbalho, que detalhou outras medidas necessárias para coibir o avanço da doença no Estado

“De ontem (23) para hoje (24), todos os 44 exames feitos deram descartados para novo Coronavírus”, anunciou o governador do Pará, Helder Barbalho, ao lado do secretário de Estado de Saúde Pública, Alberto Beltrame, ao atualizar os dados notificados pela Sespa de Covid-19 no Estado nesta terça-feira (24) em mais uma entrevista coletiva, no Palácio do Governo, em Belém, transmitida ao vivo pela TV Cultura e RBA TV. Com esta atualização, os números oficiais, até hoje, são: 215 casos descartados, 168 casos suspeitos (aguardando análise laboratorial) e cinco casos confirmados.

Helder Barbalho esclareceu que o governo está trabalhando para reforçar e ampliar o número de exames feitos diariamente. A expectativa é que a partir do próximo fim de semana sejam analisadas 120 amostras por dia. “Hoje, uma equipe do Laboratório Central do Estado (Lacen) esteve na Universidade Federal do Pará (UFPA), e nós passaremos a usar parte dos equipamentos do laboratório, já que a universidade está com as aulas suspensas. Além disto, na sexta-feira virão técnicos do Ministério da Saúde, particularmente da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que estarão validando a vinda de novos equipamentos, permitindo assim a probabilidade de até 120 exames avaliados”, explicou o governador.

Hospitais de Campanha – Em seguida, Helder Barbalho forneceu detalhes sobre a assinatura de contrato para dispor de 720 novos leitos de baixa complexidade na rede pública de saúde. Serão implementados Hospitais de Campanha em quatro municípios-polos (Belém, Marabá, Santarém e Breves), para atender pacientes de todo o Estado.Helder Barbalho disse que o governo trabalha para ampliar o número de exames feitos diariamente.

O hospital móvel de Belém será instalado no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, com 420 leitos, para atender pacientes das regiões Metropolitana de Belém, nordeste, Baixo Tocantins e parte do Marajó. 

Em Marabá, no sudeste paraense, o hospital será montado no Carajás Centro de Convenções e Eventos, na sede municipal, com 120 leitos, atendendo ao sul e sudeste.

Em Santarém, ficará no Estádio Colosso do Tapajós (Barbalhão), também com 120 leitos, para atender as regiões do Tapajós, Xingu e Calha Norte.

No município de Breves, no Arquipélago do Marajó, em local ainda a ser definido, serão disponibilizados mais 60 leitos para atender moradores de outros municípios marajoaras que ficam mais distantes da capital paraense.

Segundo o governador, se for necessário o transporte rápido para distribuição dos pacientes por estes hospitais, o Estado dispõe de uma estrutura de UTI aérea já contratada. “Serão quatro hospitais de campanha erguidos, simultaneamente. Em 20 dias todos estarão em funcionamento. A partir de segunda-feira (30) essa estrutura começará a ser levantada”, informou. 

Mais UTIS – Para incrementar o atendimento a pacientes graves que necessitarem de tratamento intensivo, o Estado também reforçará, nos próximos dias, a sua estrutura preventiva. Dos 700 leitos de UTI disponíveis atualmente em toda a rede, esse número passará para 1.138 leitos. Mais 438 novos leitos serão disponibilizados ao enfrentamento do novo Coronavírus. Além dos 23 leitos já anunciados na semana passada, mais seis foram disponibilizados pelo Hospital Beneficente Portuguesa e mais 409 kits de equipamentos de UTI foram comprados pelo governo para serem utilizados de acordo com a necessidade.

“É uma medida cautelar. Não podemos correr o risco de não atender casos graves que, possivelmente, venham a ter. Certamente não precisaremos mais que isso. Mesmo assim, é uma medida preventiva”, disse Alberto Beltrame. 

Sobre o pedido de ajuda enviado pelo governo do Estado à Embaixada da China, Helder Barbalho disse ter sido informado que o governo chinês está dialogando internamente para definir a melhor forma de apoio e, em breve, deve dar um retorno ao Ministério da Saúde e ao Itamaraty. O governo paraense também está comprando, da China, respiradores e outros aparelhos necessários ao enfrentamento da doença.

Pacientes graves – A Sespa também já dispõe de 15 mil kits com os medicamentos Hidroxicloroquina e Azitromicina. Esse tratamento está validado pelo Ministério da Saúde, e será destinado apenas a casos graves de pacientes com Covid-19 que estiverem respirando com auxílio de aparelhos.Alberto Beltrame alertou para o perigo do uso indiscriminado de Hidroxicloroquina, usado em pacientes atingidos pelo novo Coronavírus.

O secretário Alberto Beltrame alertou para o perigo do uso indiscriminado da Hidroxicloroquina, medicamento também utilizado para tratamentos de malária e lúpus. Atualmente, Hidroxicloroquina só pode ser comercializado com receita médica e ministrado com acompanhamento de um profissional. “É desastroso o uso por conta própria. Este remédio era vendido sem receita; hoje, não é mais. Ele tem contraindicações, efeitos colaterais sérios, de alto risco. Por isso está reservado para casos graves de Coronavírus, sob recomendação do médico”, ressaltou o titular da Sespa.

Medidas econômicas – Helder Barbalho também destacou a preocupação com as contas públicas e a geração de emprego no Estado neste momento de crise. Ele informou que o governo projeta uma perda de arrecadação de R$ 2,5 bilhões na receita estadual nos próximos meses. Por isso, reforçou que as medidas estão sendo feitas com bom senso, considerando o equilíbrio fiscal. “Não é hora para populismo, para politicagem. É responsabilidade”, enfatizou o governador do Pará.

E em seguida, ele falou sobre os três fundos de crédito que o Banco do Estado do Pará (Banpará) deve operar, durante esta fase de enfrentamento da pandemia, para fomentar os setores econômicos, sobretudo comércio e serviços. As linhas de crédito, com juros bem abaixo dos praticados pelo mercado, e está sendo ofertado para qualquer pessoa ou empreendedor (cliente ou não do banco) em todas as agências da instituição.

Uma das linhas de financiamento é o Fundo Esperança – www.fundoesperanca.pa.gov.br -, que destina créditos de até R$ 15 mil, a juros de 0,2%, para micro e pequenas empresas, microempreendedores individuais e pessoas físicas. 

As outras duas linhas têm um montante maior de financiamento e são voltadas para grandes empresas e prestadores de serviços, com contratos de obras públicas, no sentido de capitalizarem seus fluxos de caixa e evitar demissões na folha ou interrupção de canteiros de obras. Os interessados devem procurar qualquer agência do Banpará a partir da próxima quinta-feira (26).

Por: Jackie Carrera (SECOM) / Agência Pará