O Pará avança de 2,8 para 3,2 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2019, no ensino médio, conforme os dados apresentados na manhã desta terça-feira (15), pelo Ministério da Educação (MEC), os quais apontam que no ano passado a rede estadual de ensino teve um aumento expressivo em 79 (dos 144) municípios paraenses. Desses, 55% alcançaram a média de projeção do Ideb para o ensino médio. As escolas estaduais com os melhores índices estão nos municípios de Medicilândia, Santarém, Altamira, Mãe do Rio, Marituba, Sapucaia, Tucumã, Brasil Novo, Monte Alegre e Colares.

Ainda de acordo com os dados, o Pará ultrapassou a meta prevista para o ensino fundamental nos anos iniciais (1º ao 5º ano), cujo objetivo era a nota 4,7, mas alcançou a nota 5. O índice também subiu entre os alunos do ensino fundamental dos anos finais (9º ano), em comparação ao último levantamento. 

A educação no Estado também apresentou resultados positivos na proficiência de Língua Portuguesa e Matemática em todos os níveis de ensino, comprovando que as ações pedagógicas não almejam apenas resultados que elevem os índices, mas também a diferença no processo de ensino e aprendizagem.

A partir dessa diretriz, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) investe no âmbito pedagógico, estrutural e no protagonismo do professor a fim de melhorar a educação em todas as regiões do Pará e continuar avançando, pelos próximos anos, nos indicadores.

Rumo certo – “Sair da curva decrescente já é um avanço considerável para melhorar toda a condição da nossa escola. Acredito que estamos no rumo certo porque há investimentos não só nos projetos educacionais e inovadores, mas também na capacitação dos professores. O Estado do Pará vem caminhando para superar esta dificuldade”, ressalta a secretária de Estado de Educação, Elieth Braga.

Desde o início da pandemia de Covid-19, que ocasionou a suspensão das aulas presenciais, a Seduc busca alternativas para manter o aluno em contato com os estudos, por meio do Projeto “Todos em Casa pela Educação”.

A iniciativa visa fomentar práticas pedagógicas remotas que garantam uma agenda mínima de estudos por videoaulas, transmitidas diariamente pela TV Cultura; atividades on-line por meio do Google Forms, com o objetivo de auxiliar no crescimento e fortalecimento da aprendizagem; a plataforma EnemPará – em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) -, que garante ao aluno o acompanhamento de aulas ao vivo e videoaulas; o Seducast, que consiste em transmitir áudios pela internet com conteúdos variados, e os compêndios e caderno de atividades disponibilizados para crianças em processo de alfabetização, do 1º ao 3º ano.

Indicador de qualidade – Criado em 2005 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão ligado ao MEC, o Ideb é um indicador de qualidade do ensino fundamental (anos iniciais e finais) e do ensino médio, que leva em consideração dois itens: a quantidade de alunos que passam de ano e o desempenho desses alunos nas disciplinas Português e Matemática.

O aumento do Ideb reflete as ações já implementadas pelo governo do Estado, via Seduc, desde o primeiro ano de gestão, a fim de capacitar profissionais da educação e reconstruir e equipar escolas da rede pública de ensino. Neste ano, apesar de todas as limitações impostas pela pandemia, o Estado vem garantindo o ensino virtual, o fornecimento da merenda escolar e entregando novas escolas.

Por Lilian Guedes (SEDUC) / Agência Pará