ivermectina

Explorando a eficácia da ivermectina contra a Covid-19

Explorando a eficácia da ivermectina contra a Covid-19

Explorando a eficácia da ivermectina contra a Covid-19

Explorando a eficácia da ivermectina contra a Covid-19

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Os cientistas concluem: “Nosso estudo esclarece a candidatura da ivermectina como uma droga eficaz no tratamento da COVID-19”

A Pfizer anunciou no final do mês passado que havia iniciado os testes clínicos da Fase 1 da droga, chamada PF-07321332 e sua eficácia se deve aos inibidores de proteínas que se ligam às enzimas virais, impedindo que o vírus se replique na célula, revelou Mikael Dolsten, diretor científico da Pfizer em um comunicado à imprensa. Em julho deste ano, o medicamento passou para a Fase 2 e 3 de testes. 

Nos últimos dias tem ganhado força nas mídias sociais compartilhamentos afirmando que o medicamento desenvolvido pela Pfizer atua da mesma maneira que a ivermectina, a informação partiu do site Zero Hedge e vem sendo combatido pelas agências de checagem. A matéria toma como base um artigo científico publicado pela Future Medicine, publicação inglesa que faz parte do Future Science Publishing Group e pela Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA.

O artigo de pesquisa com o título “Exploring the binding efficacy of ivermectin against the key proteins of SARS-CoV-2 pathogenesis: an in silico approach”, traduzindo para o portugues “Explorando a eficácia de ligação da ivermectina contra as proteínas-chave da patogênese da SARS-CoV-2: uma abordagem in silico”, foi recebido pela Fortune em 11 de outubro de 2020, aceito em 5 de março de 2021 e publicado online em 25 de março de 2021, dois dias depois da publicação da Pfizer sobre o início da Fase 1.

Os Resultados da pesquisa revelam que a ivermectina foi encontrada como um bloqueador da replicase viral, protease e TMPRSS2 humano, o que poderia ser a base biofísica por trás de sua eficiência antiviral. A ação antiviral e o perfil ADMET da ivermectina foram semelhantes aos dos medicamentos anticorrosona usados ​​atualmente, como a hidroxicloroquina e o remdesivir. Os cientistas concluem: “Nosso estudo esclarece a candidatura da ivermectina como uma droga eficaz no tratamento da COVID-19”.

Os autores afirmam que não têm afiliações relevantes ou envolvimento financeiro com qualquer organização ou entidade com interesse financeiro ou conflito financeiro com o assunto ou materiais discutidos no manuscrito. Isso inclui emprego, consultorias, honorários, propriedade de ações ou opções, depoimentos de especialistas, concessões ou patentes recebidas ou pendentes, ou royalties. E que este artigo não contém quaisquer estudos com participantes humanos ou animais realizados por qualquer um dos autores.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin