Bicampeão da Segundinha, Pedreira quer retornar à elite após 11 anos
Bicampeão da Segundinha, Pedreira quer retornar à elite após 11 anos

Gigante da Vila não disputa a primeira divisão do Parazão desde 2008, quando foi rebaixado com a pior campanha daquele ano. Confira com o Gigante da Vila vai para a disputa do campeonato

Além de buscar o tri-campeonato da segundinha, o Pedreira tenta voltar para a elite do futebol paraense após 11 anos longe. O clube terá no comanda um jovem técnico que estreia na função em uma equipe profissional, mas que tem bagagem times de base. Jogadores com rodagens por clubes no Pará compõem o elenco do Gigante da Vila, que deve mandar seus jogos fora da Ilha de Mosqueiro.

Elenco

Para voltar a disputar a primeira divisão estadual, o Pedreira montou um elenco com jogadores regionais e pouco conhecidos do torcedor paraense. Por isso, os destaques do time são apenas o volante Guly Aguiar (ex-Independente de Tucuruí) e os atacantes Léo Pará (ex-Portuguesa Santista, Tuna, Águia de Marabá e Trem-PI) e Sílvio (ex-Remo, Castanhal, Sport Belém e Tapajós).

Confira o elenco completo:

  • Goleiros: Chocolate, Renan e Vitor Hugor.
  • Zagueiros: Léo Timboteua, João Castanhal, João Macapá, Sobral, Ferrugem e Yan;
  • Laterais: Eric Massara, Welson, Mateus Macapá, Dieguinho e Deivid Macapá;
  • Volantes: Balão Belém, Guly Aguiar, Murilo Nunes e Biro;
  • Meias: Felipe Mello, Ítalo Mosqueiro e Marcos Beá;
  • Atacantes: Léo Pará, Juan, Renêzinho, Gylvan Mosqueiro e Silvio.

Técnico

Pedro Henrique comanda o Gigante da Vila na disputa da Segundinha — Foto: Arquivo Pessoal
Pedro Henrique comanda o Gigante da Vila na disputa da Segundinha — Foto: Arquivo Pessoal

Pedro Henrique está no comando do Pedreira Esporte Clube para a Segunda Divisão do Parazão. Formado em Educação Física, ele iniciou como treinador em 2016 na base do Remo e em 2018 teve uma breve passagem pelo Carajás. Pedro voltou no início da temporada ao Leão, aonde conquistou a Copa CBF e acabou saindo para o sub-17 do Atlético Vianópolis, de Goiás, conquistando o acesso e o título da Série A2 da categoria. Essa será a primeira experiência dele como técnico de uma equipe profissional.

Estádio

Estádio Maximino Porpino Filho, o Modelão — Foto: Magno Fernandes/Arquivo pessoal
Estádio Maximino Porpino Filho, o Modelão — Foto: Magno Fernandes/Arquivo pessoal

Sem poder utilizar o Estádio São Sebastião, em Mosqueiro, o Pedreira deve mandar seus jogos no Maximino Porpino Filho, o Modelão. A praça esportiva fica em Castanhal e tem capacidade para 5 mil torcedores. A diretoria do Gigante da Ilha aguarda apenas o aval da Federação Paraense de Futebol.

Curiosidades

2008 foi o último ano do Pedreira na elite do estadual — Foto:  Ray Nonato/Jornal Amazônia
2008 foi o último ano do Pedreira na elite do estadual — Foto: Ray Nonato/Jornal Amazônia

O Pedreira não disputa a elite do Parazão desde 2008, quando terminou com a pior campanha daquele ano. Campeão da Segundinha nos anos de 1994 e 2000, o General da Vila não esteve na competição no ano passado. Sua última participação na segunda divisão foi em 2017, tendo uma campanha de quatro derrotas em quatro jogos. Fundado em 1925, o clube é conhecido por ser o único time profissional da Ilha de Mosqueiro.

Por Bruno Amânciogloboesporte.com